Inhotim: um museu para ser chamado de nosso

Se você ainda não foi, programe-se para ir. Com certeza, o museu de Inhotim é um desses lugares imperdíveis, obrigatórios “para conhecer antes de morrer”. Localizado no que já foi uma fazenda, a cerca de uma hora de carro de Belo Horizonte, na cidade de Brumadinho, Inhotim é uma das mais preciosas instituições culturais do Brasil. E já se tornou um dos mais importantes museus de arte contemporânea do mundo.

Pois Inhotim tem direito a todos os adjetivos e superlativos. Um dia só não basta para dar conta de conhecer a arte, as instalações, a arquitetura e o maravilhoso projeto de paisagismo que toma conta de cada pedacinho desse parque. Se quiser fazer como se deve, reserve três dias para ver tudo com o respeito e tempo que Inhotim merece.

São inúmeros pavilhões, que abrigam exposições de um único artista ou temas que reúnem vários profissionais. As instalações se dividem entre as que emocionam, como o impressionante conjunto de 98 caixas de som, criado pela dupla canadense Janet Cardiff e Bures Miller, que conta histórias e faz muita gente chorar e dançar. Há quem jure que teve sonhos apocalípticos ao ouvir o que parece ser uma “orquestra viva”.

cardiff1-752x570

Foto: inhotim.org.br

No quesito surpreender, destacam-se as instalações do artista pernambucano Tunga, que tem os maiores pavilhões de Inhotim. Suas obras reúnem um imaginário exuberante que mistura desenho, escultura, instalação, filme, vídeo e performance. Você pode até não gostar, mas não há como passar imune à força visceral de sua “instauração” True Rouge.

True-Rouge

Foto: inhotim.org.br

Todos os prédios que abrigam as galerias, exposições e restaurantes são de uma beleza arquitetônica sem comparação. Tudo tem um absurdo bom gosto, além da perfeita compreensão estética do entorno e da função a que se destina. Sintonia das boas! É o caso da galeria de Adriana Varejão, assinada pelo escritório Tacoa Arquitetos. O edifício é magistral, conduzindo o visitante a não diferenciar mais obra de arte da arquitetura.

adriana-varejao-11-752x547

Foto: inhotim.org.br

Como se não bastasse, as distâncias são grandes entre uma galeria e outra, mas a natureza é quase que esculpida para também despertar suspiros enlevados. Não é raro ver os visitantes aproveitando os jardins e recantos como templos de contemplação. Impecavelmente cuidados e desenhados, os jardins de Inhotim nos fazem pensar em paisagismo como uma perfeita obra de arte.

Aliás, tudo em Inhotim nos aproxima do conceito maior do que é arte. De nos fazer refletir, pensar, de engrandecer, de nos tirar da dimensão humana para nos aproximar do perfeito, do belo, do divino. Visite e nos dê sua opinião aqui no nosso blog! www.inhotim.org.br.

colocar fotos das 2 instalacoes que eu cito e o projeto do espaço da Adriana Varejao.

Mostras de decoração agitam a cidade de São Paulo

CASA COR MOSTRA BLACK 2015
Você quer saber para onde caminham as tendências da decoração, ou o que os arquitetos e designers de interiores estão pensando, além de ter ideias descoladas para sua casa? A dica é reservar um tempo para visitar duas das mais importantes mostras de decoração do país, a Casa Cor e a Mostra Black, ambas acontecendo simultaneamente em São Paulo.

CASA COR - GIL CIONI E OLEGARIO DE SA - FOTOS DIVULGACAO

A Casa Cor de São Paulo mantém o título de evento mais poderoso, seja no tamanho, quanto na frequência de público e nível dos profissionais e projetos. Após algumas edições grandes demais e um pouco desfocadas, a Casa Cor vem retomando seu brilho, especialmente nos últimos três anos, quando deu uma guinada, reduzindo não só a quantidade de ambientes como a de participantes. O resultado foram espaços muito mais cuidados e bem elaborados. Outra decisão acertada foi a criação de um conselho de curadores que vem acompanhando de perto a seleção dos profissionais e o nível dos projetos.

MOSTRA BLACK - TRIPLEX ARQUITETURA - FOTO EDU CASTELLO ED. GLOBO

Nesta edição, a Casa Cor SP mostra que ainda tem muito fôlego. Para o visitante, o melhor é a sensação de que o nível geral está muito mais equilibrado. E de que muitos espaços ainda são capazes de nos fazer sonhar e suspirar. O tema “Brasilidade” trouxe algumas boas surpresas como os belíssimos espaços assinados por Roberto Migotto, David Bastos, Guilherme Torres, Léo Shehtman, Brunete Fraccaroli e Marina Linhares. E os jardins de Gilberto Elkis, Marcelo Faisal e Luiz Carlos Orsini estão, sem dúvida, entre os pontos altos da mostra.

CASA COR - ROBERTO MIGOTTO - FOTOS DIVULGACAO

Já a mostra Black, em sua quarta edição, sempre apostou em um evento bem menor, mais conceitual e, segundo os organizadores, com uma proposta mais exclusiva. A verdade é que já houve acertos e erros na mesma proporção.

CASA COR - LEO SHEHTMAN - FOTOS DIVULGACAO

Este ano a mostra buscou um espaço inusitado, optando pelo pavilhão da Oca, no Parque Ibirapuera, que trouxe frescor para a proposta. São apenas 15 profissionais, que misturam decoração com arte e lifestyle. Para lá migraram profissionais como João Armentano, Debora Aguiar, Roberto Migotto, Guilherme Torres e o escritório Triplex Arquitetura.

CASA COR - GILBERTO ELKIS - FOTOS DIVULGACAO

A Casa Cor está no Jóquei Club, até o dia 12 de julho (www.casa.cor.com.br). E a Mostra Black, na Oca, até o dia 21 de junho (www.mostrablack.com.br). Programe-se!!!

Expo Milão: uma viagem por alimentos e tradições de 144 países

Foto: Atelier Marko Brajovic

Foto: Atelier Marko Brajovic

A cidade de Milão sedia até outubro a Expo Universal, evento incrível que reúne 144 países. O pavilhão do Brasil é assinado pelo Studio Arthur Casas, em parceria com o Atelier Marko Brajovic e MOSAE – Milano OpenStudio.

expo-milao003-archdaily

Foto: Archdaily

expo-milao001-apex-brasil

Foto: Apex Brasil

Esperam-se mais de 20 milhões de visitantes em um espaço de 1 milhão de m². O evento tem uma pegada sustentável e tecnológica. Com o tema “Alimentando o Planeta, Energia pra a Vida”, vai oferecer uma experiência única sobre nutrição, em uma viagem por alimentos e tradições de povos de todo o mundo. O objetivo é promover o debate sobre como nutrir o planeta de forma sustentável, justa e saudável, promovendo as identidades culturais.

Com 4 mil m², o pavilhão brasileiro vai abrigar exibições, atividades culturais e gastronômicas, seminários, eventos de negócios e de relacionamento. O projeto utiliza a metáfora da rede, que convida o visitante a entrar no pavilhão e conhecer uma instalação multissensorial e imersiva, representando a integração da cadeia de alimentos e fornecedores. Uma experiência interativa, lúdica e simbólica.

expo-milao002-gazeta-do-povo

Foto: Gazeta do Povo

A história das exposições universais teve início em 1851, quando a primeira edição foi realizada no Palácio de Cristal, em Londres. Atualmente, a Expo é realizada a cada cinco anos, em um canto diferente do mundo, reunindo dezenas de países que apresentam avanços da humanidade. São eventos que funcionam como plataforma para o diálogo internacional sobre temas relevantes para pessoas, países e instituições do mundo todo. Desde o início, foi um lugar para cada nação se apresentar e oferecer ao mundo conhecimentos e soluções criativas para o seu tempo.

Foi, por exemplo, na Exposição Universal da Filadélfia em 1876, que D. Pedro II, um aficionado por inovações, conheceu a nova invenção de Graham Bell, sendo assim o primeiro brasileiro a usar um telefone. A arquitetura e a cultura do país escolhido para ser o cenário de cada grande exposição também ganham destaque, deixando heranças como a torre Eiffel, que foi construída em Paris para abrigar a Exposição Universal em 1889. Saiba mais em www.brasilexpo2015.com e www.expo2015.org.

Cinco sensações que só os tapetes despertam

Descanso, felicidade, momentos de prazer. Seja em casa ou no escritório, ter um tapete aconchegante nos proporciona tantas sensações agradáveis, não é? Confira cinco sensações que só o tapete traz para você!

ACONCHEGO: um tapete agradável ao toque dá ao ambiente um toque mais acolhedor. Não tem como errar, principalmente se for fofinho, macio e em cores claras.
AQUECIMENTO: em pisos frios ou mesmo no quarto, o tapete é ideal para despertar a sensação de que o lugar é mais quente, mais gostoso e agradável de pisar.
AMPLITUDE: um tapete grande dá impressão de espaço maior. A regra é posicionar todos os móveis em cima do tapete como mesas, estofados etc.
LIMPEZA: o tapete funciona como um filtro para pó, pelo e ácaros. Se você cuidar direitinho do seu tapete, passando aspirador de pó com frequência e tomando todos os cuidados necessários, o ambiente com certeza vai ficar mais limpo.
SEGURANÇA: um tapete macio é ideal para uma casa com crianças. Elas vão poder deitar e rolar e até mesmo cair, sem perigo nenhum.  Para isso, prefira os de nylon, que não causam alergia.

Categorias: Estilo de vida

Salão do Móvel de Milão: um mundo de novidades

mooi-milao

Em abril, vivemos mais uma vez a euforia do Salão do Móvel e dos eventos do Fuori Salone, que fazem de Milão a meca de novidades do mundo do design e da decoração. Com certeza, muitas delas irão aportar por aqui em breve.

O tom geral foi de “menos é mais”. Crise após crise, a Europa aprendeu que poucos lançamentos e propostas reais podem durar (e vender) mais. Assim, as peças conceituais vêm perdendo força a cada ano, para dar lugar a móveis que promovem o aconchego, o ficar e receber em casa.

A estética dos anos 70 marcou presença. Ícones dessa época como os óculos redondos, franjas e estampas étnicas, puderam ser vistas em várias referências. Tapetes, por exemplo, ganharam formato redondo ou canto arredondado. Móveis com cores fortes, alegres, às vezes colocadas todas juntas como num caleidoscópio, uniram-se ao desenho mais simples, formando um conjunto bem contemporâneo.

O saldo foi bem positivo, mais pé no chão, diríamos. O que, convenhamos, é muito atual e totalmente alinhado com o momento.

Categorias: Estilo de vida